PF prende “Rainha do Sararé” e outros criminosos que comandavam extração de ouro em terra indígena

Compartilhe

Publicado em 09 de agosto de 2022.

A líder da quadrilha é uma mulher de 47 anos, proprietária de uma empresa de fachada de terraplanagem.

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (9) a operação “Rainha do Sararé” com objetivo de cumprir quatro mandados de prisão preventiva e quatro de busca e apreensão contra uma organização criminosa voltada para extração ilegal de ouro na cidade de Pontes e Lacerda (440 km de Cuiabá).

A líder da quadrilha é uma mulher de 47 anos, proprietária de uma empresa de fachada de terraplanagem. A criminosa se identificava Rainha do Sararé e o apelido se tornou nome da operação que a prendeu.

De acordo com informações da PF, a associação criminosa formada por um grupo familiar originário do estado de Rondônia vinha ao estado de Mato Grosso para comandar a extração ilegal de ouro na Terra Indígena Sararé. Dos quatro mandados de prisão, três foram cumpridos. Uma pessoa encontra-se foragida.

Os presos financiavam a prática do garimpo ilegal de ouro por meio da utilização de maquinários e recrutamento de pessoas. Também comercializavam ouro sem autorização legal e associaram-se com o fim de extrair e comercializar o ouro. A PF informou que tem trabalhado na proteção das terras da União e da população indígena local, ao descapitalizar esse tipo de organização que promove a degradação do meio ambiente, desmatando áreas de preservação e contaminando rios e solos.

Fonte: Olhar Direto.

 

 

Publicar Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *. Preencha os campos

*