Quatromarquense, fã da natureza se torna guia internacional e viaja o mundo

Compartilhe

Por redacao@gazetadigital.com.br Vitória Sam

Nascida em São José dos Quatro Marcos (315 km a Oeste), Elida Zuchini, 31, fez o sonho da infância se tornar sua profissão. Após se formar em Turismo, ela vive a vida que tanto desejou, trabalhando como guia internacional especializada na área de esporte e aventura.

Na infância, Elida morou em Mirassol do Oeste, Cáceres e Primavera do Leste. Ela cresceu pescando nos rios mato-grossenses, mas no coração sempre teve um fascínio imenso por montanhas. Ela conta que desde os 9 anos se dedicou e estudou para que o sonho se tornasse realidade.

Aos 17 anos, se mudou para o interior de São Paulo para cursar Turismo na Universidade Estadual Paulista (UNESP) e, durante o último ano de faculdade, em uma visita técnica de campo em Brotas, acabou se apaixonando por rafting, rapel, trilha.

Durante estágio obrigatório em uma agência de turismo, ela ganhou experiência, se decidou muito devido, se tornou monitora e depois coordenadora. Nesse período, ela chegou a coordenar o primeiro arvorismo no Brasil e depois foi para outra agência, que é bastante respeitada por ser a primeira em trazer o rapting pro país.

No ano de 2014, morando em São Paulo, ela começou a trabalhar em uma das agências mais antigas de ecoturismo, onde atualmente atua como guia internacional.

“Eu comecei novamente do zero como estagiária e, com o tempo, fui conquistando a confiança e o espaço na agência. Na época não tinha muito espaço para as mulheres que eram guias também. A maioria dos guias e líderes de uma forma geral no Brasil ainda são homens e com o passar dos anos eu fui conseguindo conquistar a confiança e o meu espaço. Hoje eu faço parte de venda, da operação e do produto”, explicou.

Trabalhando como guia internacional focado na área de esporte e aventura, Elida chegou a ganhar uma bolsa de estudos de uma organização internacional e passou 20 dias em uma expedição de canoa pela Amazônia, onde remou pelo rio Roosevelt até a transamazônica, deslocando 280km em canoa canadense.

“Eu nunca imaginei que eu fosse viver tudo que estou vivendo hoje. Morei 3 anos como nômade viajando, guiando por alguns países, principalmente Europa, eu tive a oportunidade de ir para Ásia, pro Nepal, para Tailândia, pro Vietnã e aí eu tava até na Itália trabalhando”, explicou.

Na pandemia de covid-19, ela precisou retornar para o Brasil, onde passou dois anos viajando pelas capitais. Em 2022, retornou às viagens internacionais, começando com a Patagônia (Argentina) para fazer uma expedição de bicicleta e depois foi para El Chatén, também em solo argentino, conhecida como um dos principais lugares do montanhismo.

Com o currículo extenso de viagens, atualmente ela é patrocinada por algumas marcas esportivas, além de ser embaixadora de uma marca de mochilas americanas. Ela também tem um Blog, onde divide as experiências dos lugares visitados. Agora o objetivo da viajante é se preparar para ter as certificações internacionais como guia de montanhas.

Para quem deseja acompanhar as aventuras da mato-grossense, pode seguir o perfil do Instagram.

Publicar Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *. Preencha os campos

*